20 e 21 Outubro: Workshop de Escrita de Viagem (Lisboa)

20 e 21 Outubro: Workshop de Escrita de Viagem (Lisboa)

150.00

Este workshop pretende dotar os participantes de ferramentas e metodologias específicas da escrita documental e da narrativa de viagem. Através de exemplos práticos e da análise de autores fundamentais do género, serão fornecidos os instrumentos básicos para transformar a experiência vivida da viagem num texto narrativo publicável e interessante para um público alargado

data: 20 e 21 de Outubro 2018
local: Lisboa


duração: 2 dias, das 10h às 19h
tipo: teórico
pré-requisitos: nenhum

 

Programa

Sábado:
Que temas e destinos escolher.
A preparação.
Os lugares e as pessoas.
Viajar para contar: técnicas de observação da realidade geográfica, social, cultural, política, psicológica.
Meios de transporte: de automóvel, moto, autocarro, comboio, bicicleta, avião ou a pé.
A investigação: fazer perguntas, procurar histórias, provocar acontecimentos.
Notas, diários, fotografias e vídeos.

Domingo:
Escrever para quem, escrever sobre o quê.
O acaso e o plano: o conceito de aventura.
O turista e o viajante, duas tradições distintas.
Os sub-géneros da literatura de viagens.
Descrição, drama e narrativa.
A definição de uma voz e de um estilo.
O fio condutor e o fio narrativo. 
Elementos de narratologia: estrutura, narrador, tempo, pessoa, ritmo, suspense e enredo.
A viagem na era da internet.

Quantity:
Comprar
Paulo-Moura-copy.jpg

Formador: Paulo Moura

“Antes de descobrir que queria ser jornalista, descobri que queria escrever e que queria viajar. Eram essas as minhas paixões de criança.”

 

Paulo Moura estudou História e Jornalismo. É professor de Jornalismo na Escola Superior de Comunicação Social, em Lisboa, e autor de sete livros, entre os quais a biografia de Otelo Saraiva de Carvalho e Passaporte para o Céu, um relato sobre a imigração ilegal de africanos para a Europa. 

Paulo Moura foi, durante 23 anos, jornalista do Público. Publicou várias reportagens em revistas internacionais, como a Harper's Magazine, a New York Times, o Courrier Internacional, a Lettre International Deutschland, a Lettre Romania, a World Media e Néon. Esteve como correspondente permanente nos Estados Unidos, Canadá e México. Entre 1999 e 2000 assumiu o cargo de editor da revista Pública (suplemento domingo jornal Público). 

Tem feito reportagens em zonas de crise por todo o mundo. Destacou-se com as suas reportagens no Afeganistão, Argélia, Caxemira, China, Tchetchénia, Haiti, Iraque, Sudão, Egipto, Líbia, Kosovo, entre muitos outros países.

Paulo Moura foi galardoado com vários prémios de jornalismo, entre os quais se destacam:
- Bolsa Exploração Nomad para uma série de reportagens (Expresso e Visão) sobre o fim do Estado Islâmico (2017)
- Prémio Direitos Humanos e Integração da Comissão Nacional da UNESCO, pela reportagem A Revolução virá do Campo, realizada na China (2013)
- Prémio Gazeta de Jornalismo, atribuído pelo Clube de Jornalistas, pelo conjunto de reportagens sob o título Diário da Primavera Árabe, realizadas no Egipto e na Líbia (2012)
- Primeiro Prémio “Jornalismo Contra a Indiferença” da Fundação AMI – Assistência Médica Internacional, com a reportagem Darfur – Epitáfio para Dois Milhões de Vivos, realizada no Sudão (2005)
- Finalista do Lettre Ulysses Award for the Art of Reportage, Berlim (2004)
- Segundo Prémio Lorenzo Natali For Journalism, da Comissão Europeia, Bruxelas (2004)
- Grande Prémio Imigração e Minorias Étnicas: Jornalismo pela Tolerância, do Alto Comissariado para a Imigração e Minorias Étnicas, com duas reportagens sobre imigrantes ilegais sub-saarianos tentando alcançar a Europa (2003)
- Prémio de Jornalismo “O Futuro da Europa”, atribuído pela Comissão Europeia, com o conjunto de reportagens “As Novas Fronteiras da Europa”, realizadas na Jugoslávia, Bulgária, Roménia, Polónia, Hungria e Ucrânia. (2001)
- Grande Prémio de Reportagem Escrita do Clube Português de Imprensa com a reportagem “O Segredo da Cartuxa”, sobre o Convento de Santa Maria Scala Coeli, em Évora (2001)
- Grande Prémio de Reportagem Escrita do Clube Português de Imprensa com a reportagem “O Segredo do País dos Mouros”, sobre a escravatura na Mauritânia (1998)
- Grande Prémio de Reportagem Escrita do Clube Português de Imprensa com um conjunto de reportagens sobre a Rússia e a guerra da Tchetchénia (1996)
- Grande Prémio de Reportagem da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD) com um conjunto de reportagens sobre a visita do Papa João Paulo II ao Colorado, nos EUA (1994).

FAQ

Quais os pré-requisitos para participar nesta formação?
Nenhum.

Após o pagamento é possivel cancelar a inscrição?
A desistência ou impossibilidade de participação implica a perda da totalidade da inscrição. Pode no entanto substituir o seu lugar por outra pessoa.