Uma Casa em Mossul

Uma Casa em Mossul

16.90

“O Estado Islâmico é, provavelmente, de todas as realidades do século XXI, a mais difícil de compreender. nas regiões que controla é impossível entrar. Eu quis aproximar-me o mais possível.

E foi ali, em Mossul, em noites de calor escaldante, moscas, cavalos e cães selvagens, que escrevi este livro. Quando cheguei a Lisboa editei, acrescentei, organizei o texto, mas o lugar da escrita, o ponto de vista, a minha casa, foi ali, rente ao palco do massacre, na fornalha de Julho e da guerra.”

Um livro editado pela Penguin Random House com o financiamento da Bolsa de Exploração Nomad.

Uma das missões da Nomad é apoiar a curiosidade e a inquietude, financiando projetos que contribuam para um melhor conhecimento do mundo em que vivemos. Em 2017, entregámos parte da Bolsa de Exploração Nomad ao Paulo Moura, com o propósito de financiar um projeto jornalístico sobre os últimos dias do Estado Islâmico.

Para isso, o jornalista viajou até à Síria e ao Iraque. O verão estava no seu auge, e as batalhas com o Estado Islâmico também. Depois de concretizar a missão, quase impossível, de entrar em Mossul, aquilo que lá encontrou foi uma paisagem de guerra e destruição pontuada por vestígios de um quotidiano que já não tem referente.

As noites longas, repletas de insónias, resultaram nos rascunhos que servem de base ao livro “Uma Casa em Mossul”.

Quantity:
Comprar
 
 
Paulo-Moura-copy.jpg

Paulo Moura estudou História e Jornalismo. É professor de Jornalismo na Escola Superior de Comunicação Social, em Lisboa, e autor de sete livros, entre os quais a biografia de Otelo Saraiva de Carvalho e Passaporte para o Céu, um relato sobre a imigração ilegal de africanos para a Europa. 

Paulo Moura foi, durante 23 anos, jornalista do Público. Publicou várias reportagens em revistas internacionais, como a Harper's Magazine, a New York Times, o Courrier Internacional, a Lettre International Deutschland, a Lettre Romania, a World Media e Néon. Esteve como correspondente permanente nos Estados Unidos, Canadá e México. Entre 1999 e 2000 assumiu o cargo de editor da revista Pública (suplemento domingo jornal Público). 

Tem feito reportagens em zonas de crise por todo o mundo. Destacou-se com as suas reportagens no Afeganistão, Argélia, Caxemira, China, Tchetchénia, Haiti, Iraque, Sudão, Egipto, Líbia, Kosovo, entre muitos outros países.

Paulo Moura foi galardoado com vários prémios de jornalismo, entre os quais se destacam:
- Bolsa Exploração Nomad para uma série de reportagens (Expresso e Visão) sobre o fim do Estado Islâmico (2017)
- Prémio Direitos Humanos e Integração da Comissão Nacional da UNESCO, pela reportagem A Revolução virá do Campo, realizada na China (2013)
- Prémio Gazeta de Jornalismo, atribuído pelo Clube de Jornalistas, pelo conjunto de reportagens sob o título Diário da Primavera Árabe, realizadas no Egipto e na Líbia (2012)
- Primeiro Prémio “Jornalismo Contra a Indiferença” da Fundação AMI – Assistência Médica Internacional, com a reportagem Darfur – Epitáfio para Dois Milhões de Vivos, realizada no Sudão (2005)
- Finalista do Lettre Ulysses Award for the Art of Reportage, Berlim (2004)
- Segundo Prémio Lorenzo Natali For Journalism, da Comissão Europeia, Bruxelas (2004)
- Grande Prémio Imigração e Minorias Étnicas: Jornalismo pela Tolerância, do Alto Comissariado para a Imigração e Minorias Étnicas, com duas reportagens sobre imigrantes ilegais sub-saarianos tentando alcançar a Europa (2003)
- Prémio de Jornalismo “O Futuro da Europa”, atribuído pela Comissão Europeia, com o conjunto de reportagens “As Novas Fronteiras da Europa”, realizadas na Jugoslávia, Bulgária, Roménia, Polónia, Hungria e Ucrânia. (2001)
- Grande Prémio de Reportagem Escrita do Clube Português de Imprensa com a reportagem “O Segredo da Cartuxa”, sobre o Convento de Santa Maria Scala Coeli, em Évora (2001)
- Grande Prémio de Reportagem Escrita do Clube Português de Imprensa com a reportagem “O Segredo do País dos Mouros”, sobre a escravatura na Mauritânia (1998)
- Grande Prémio de Reportagem Escrita do Clube Português de Imprensa com um conjunto de reportagens sobre a Rússia e a guerra da Tchetchénia (1996)
- Grande Prémio de Reportagem da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD) com um conjunto de reportagens sobre a visita do Papa João Paulo II ao Colorado, nos EUA (1994).