7 dias, uma revista: DOC! Photo Magazine

 
20-lens-greene-slide-437Q-superJumbo-2.jpg

"Some things simply need to be seen."

Stanley Greene

Não haveria melhor forma de começarmos a falar sobre a Doc! Photo Magazine do que citando Stanley Greene, um dos mais conceituados fotojornalistas do mundo. Stanley morreu em maio deste ano, mas o impacto do seu trabalho foi tal, que a DOC! lhe dedicou a edição nº 41, homenageando o poder da fotografia como catalisadora da mudança.

A capa escolhida para esta edição foi a fotografia "Downtown Grozny (Chechnya), tirada por Stanley em Abril de 2001. Na imagem vemos Zelina, uma mãe que perdeu o filho e cujo olhar distante retrata desilusão de viver numa sociedade marcada pela guerra.

"Described as a war photographer, Stanley more often depicted the consequences of living through conflict that the action of the fight. Zelina's photograph, from Grozny, is purity defiled by violence. Her face could be taken from a painting from another era; an angel's face with porcelain skin and soft pink lips - an innocent beauty. But she looks out of her windows in fear of the war that tore loved ones, and any innocence she onde had, from her." Robin Hammond

Logo nas primeiras páginas, encontramos algumas das fotografias mais irónicos de Stanley, acompanhadas por pequenos relatos de vários fotógrafos sobre a forma como aquela imagem os marcou. O fotógrafo Francesco Zizola, por exemplo, partilha a imagem que Stanley captou dos sobreviventes do massacre de Samashki, em Abril de 1995. 

"I consider this image one of the best in all the production of Stanley. There is all about his sense of drama. Besides the subjects, in this photo there is all Stanley's participatory look, all his "concern". This is accompanied by the consciousness of being a witness of a historical event. It is the image that returns Stanley in all its glory."

stanley_greene_01.jpg

ob a sombra do legado deixado por Stanley, a revista desenrola-se sobre o papel da fotografia e o seu impacto na forma como percepcionamos a realidade, quer seja o seu lado mais doce, em fotografias instantâneas de céus em cores esbatidas, o seu lado mais chocante, em cenários de guerra, ou apenas o quotidiano, imagens comuns capazes de nos roubar um meio sorriso.

"Bogdan Dziworski's photography belong to the canon of polish postwar photography. His black and white photos show moments from common people's life, people, just met on the street while many hours long waking."

©-Bogdan-Dziworski_001.jpg

A preocupação da revista doc! com o impacto social e ambiental vai além do da temática da guerra e do que nos torna humanos. O artigo Warm Waters, sobre o projeto com o mesmo nome, retrata uma investigação fotográfica que visa mostrar o efeito das mudanças climáticas no Ártico e no oceano pacífico. 

"As people rebuild homes and schools after a cyclone, they are damaged by another. Rising temperatures are fracturing once solid ice and cracks are appearing in otherwise strong communities. People need to move inland, and in the most extreme cases, relocate entirely. They are not escaping war or persecution, they are fleeing their own environment. Consequently, we are already witnessing world's first climate change refugees."

As mais de 200 páginas da doc! Photo Magazine não facilitam o nosso trabalho. Cada história é fascinante, cada imagem inesquecível. Escrever sobre o que mais gostámos na revista seria copiar na integra tudo o que lemos e observámos. Poderíamos justificar este interesse com o tema da revista, fotografia documental, uma área que nos é imensamente querida, mas é algo mais. A doc! faz-nos ver o mundo e ajuda-nos a interpretá-lo, leva-nos a conhecer o pior mas faz nos acreditar no melhor.

Como Stanley disse, há coisas que simplesmente precisamos de ver. 

-

A DOC! Photo Magazine está disponível no nosso quiosque e loja online