As origens do nosso café

 

Esta semana chegaram ao Manifesto novos grãos de café, provenientes do Brasil, da Columbia e do Burundi. Ficámos fascinados com os sabores exóticos e confortáveis que o café nos proporcionou, mas o que nos surpreendeu foi conhecer as histórias por detrás dos grãos.

 

SITIO TIRA O ZOIO - BRASIL

Edivalo Dernandes vê o café que produz como uma espécie de remédio natural para curar qualquer mal. A doçura cremosa do chocolate de leite que se sentem nos grãos ganha um sabor reconfortante em conjunto com notas subtil a cerejas secas e avelãs- Edivalo é o proprietário da fazenda Sitio Tira o Zoio, uma quinta de nove hectares localizada no município de São José. A sua história é também a história do café que produz, uma sequência de acontecimentos que revela o prazer de trabalhar naquilo de que mais se gosta.

"Eu nasci no Rio de Janeiro, mas a minha família mudou-se para a cidade de Irupi quando tinha apenas quatro anos. O meu pai encontrou trabalho numa fazenda de café, essa foi a primeira vez que tive contacto com o processo do cultivo do café. Eu estava sempre com o meu pai, a tentar aprender. Quando era jovem, queria independência, então comprei uma máquina de processamento de café e começou a prestar serviços na região. Esse trabalho alimentou ainda mais o meu desejo de ter meus próprios campos, então, em 2005, vendi a máquina e comprei uma fazenda."

 
 

KIBINGO - BURUNDI

O café proveniente de Burundi é ousado, repleto de sabores suculentos como o pêssego e frutos silvestres. Embora o café cresça em quase todas as localidades de Burundi, há um local especial que consegue tornar esta café ainda mais especial. Fica a poucos quilómetros da fronteira com Ruanda e perto da crista Congo-Nilo, na província de Kayanza.

O Kibingo foi construído por volta de 1985 e serve como ponto de recolha de 517 pequenos produtores locais. Apesar de existirem muitas fazendas que lutam para se manterem sustentáveis, o kibingo está a rejuvenescer a indústria do café.

 

LOS VASCOS - COLOMBIA

O café proveniente do grupo Los Vascos, na Colombia, é conhecido pelo seu sabor equilibrado, pelo aroma a frutos do pomar e pelo suaves tons de nozes, mas o que nos fascina nesta café é a sua história.

No século XVI, muitos espanholes proveniente do país Basco emigraram para a Colômbia, em particular para a cidade de Tolima, onde este café começou a ser cultivado. Através da combinação de de várias culturas de café e de propriedade individuais, estes emigrantes começaram a trabalhar em conjunto com um fim comum, produzir um café de qualidade.

Atualmente, o grupo Los Vascos é quase um símbolo do património e da história dessa vaga de emigração que marcou a Colômbia séculos atrás. O café por eles produzidos é tratado com imensa dedicação e cuidado, desde o cultivo das árvores à moagem. Cerca de 80% da produção é orgânica, produzida através de um processo de fermentação seca.

 
Tiago Costa